A dúvida realmente é justa e procede.  Temos ciência que existe um preconceito generalizado pois a base do tratamento vem de um termo banalizado por máquinas que realmente não trazem benefício algum ou podem até causar queimaduras profundas de difícil tratamento. 
O que pouca gente sabe é:

 1) Quem desenvolveu a técnica criolipólise foi a Zeltiq, empresa que criou o Coolsculpting a partir de estudos da Universidade de Harvard iniciados em 1999. Daí, como era de se esperar, surgiram várias cópias do nosso aparelho e a criolipólise foi banalizada;

2) A referida Zeltiq foi adquirida pela gigante Allergan, a empresa do Botox, por 2,48 bilhões de dólares em “cash” no ano passado, refletindo seu grande valor de mercado;

3) Segundo as últimas estatísticas, já foram feitas mais de 6.000.000 de sessões em todo mundo e NUNCA foi verificado nenhum caso de queimadura. O Coolsculpting tem a patente mundial da criolipólise e uma outra chamada Cool Detect que checa a temperatura da pele durante toda a sessão e evita qualquer risco de queimadura pelo frio;

4) E, por fim, foi constatado em estudos científicos que 86% dos pacientes ficaram satisfeitos com o tratamento, 82% indicaria a um amigo e 92% tiveram uma diferença notável após uma única sessão. Falando em termos populacionais, o tratamento com o Coolsculpting apresenta elevados índices de satisfação. 

Concluindo, se você quer tratar aquela gordura localizada que não vai melhorar mesmo nem com academia e nem com dieta, e também não deseja operar, seja por medo ou falta de tempo, uma boa sugestão é fazer o Coolsculpting. Os resultados aparecem entre 6 a 8 semanas, perderá cerca de 30% de gordura na região tratada e não terá qualquer tipo de restrição, exceto engordar!  Vale lembrar que esse tratamento não tem qualquer efeito sobre a gordura visceral (nem o Coolsculpting, nem a lipoaspiração).

Agende sua consulta com o Dr. Rodrigo Fuzaro e conheça de perto os efeitos do CoolSculpting!